Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vamos atirar uma bomba ao destino

Não somos de nos contentar com o que o destino reserva para nós. Sonhamos alto e frequentemente caminhamos fora da estrada.

Laura Palmer - Capítulo 2

tumblr_o6gv3ao0jt1sdyvvmo1_1280.jpg

Fui até ao meu quarto seguindo as indicações da folha e das setas que estavam espalhadas pelo colégio, aquilo era tudo um pouco confuso mas, depois de muitos empurrões, muitos becos sem saída, muitas salas erradas, consegui finalmente chegar ao meu destino. 

Tinha sido a primeira a chegar.

O dormitório tinha cinco camas, ao lado de cada uma, um pequeno armário e em cima duas prateleiras. Ao centro estava uma grande mesa e a um canto, três puf e uma pequena mesa. Uma grande janela ao fundo dava luz suficiente ao quarto.

Escolhi a cama que ficava no canto atrás da porta, pus a minha mala em cima dela e comecei a arrumar as coisas nos seus devidos lugares: algumas roupas para o armário, outras ficavam na mala; livros, fotos, o meu ursinho de peluche, o qual já não vivo sem e alguns beauty products para as prateleiras; a mala para debaixo da cama.

Passado algum tempo a porta do quarto abriu-se e entrou uma rapariga de estatura média, morena de cabelos não muito longos e ondulados.

Ela estava com alguns problemas com as malas, mas mal me viu, um sorriso formou-se nos seus lábios:

- Olá, chamo-me Valentina.

- Sou a Laura! – respondi-lhe timidamente. Ela parecia simpática, mas a minha timidez nunca me facilitou a vida…

- Bem, parece que vamos ser colegas de quarto… - disse ela puxando a grande mala para dentro e fechando a porta atrás de si.

- É – respondi-lhe enquanto me sentava na minha cama pegando em alguns livros para por na prateleira.

- Vamos dar-nos bem, descansa, eu também ainda me estou a habituar a isto tudo… - ela disse sorrindo e pondo a mala em cima da cama que tinha escolhido – OH MEU DEUS! Isso é 2363 de Y. N. Daniel? – gritou quando olhou para mim e me viu com o livro nas mão, quando dei conta o livro já estava nas mãos dela! - Onde o conseguiste? Ando à procura deste livro há séculos! Já leste? Como é? – segurava o livro com as duas mãos em frente ao peito e olhava para mim com olhos esfomeados! Ela era das minhas, adorava ler!

- Não, ainda não li! – disse dando uma gargalhada – Ofereceram-mo à algum tempo, mas ainda não pude lê-lo, se quiseres eu empresto, trouxe imensos!

- Nem acredito que o estou a segurar com as minhas próprias mãos! Obrigada, obrigada, obrigada, já ganhei o esforço!

Dei uma gargalhada, é bom encontrar pessoas com os mesmos gostos que nós!

Falou-me dela, da sua casa, da sua família e das suas amigas. Disse-me que vinha do sul e que tinha vindo para o colégio porque os seus pais estavam farta de a ver metida em confusões. Depois começou a fazer-me perguntas, às quais eu respondia com o maior à vontade que podia!

Alguns 20 minutos depois de Valentina ter entrado, porta abriu-se novamente e outra rapariga entrou no quarto. Era uma rapariga morena, o cabelo dela era mais ou menos o da Valentina mas mais claro. Ela sorriu e nós retribuímos o sorriso, a Valentina começou:

- Olá, sou a Valentina e esta é a Laura – disse apontando para mim, eu apenas sorri.

- Olá, chamo-me Rita! – percebi que ela era como eu, muito tímida também…

- Sê muito bem-vinda, fica à vontade e se precisares de algo nós estamos aqui, certo Laura?

- Claro, qualquer coisa! – aquela rapariga fazia com que as pessoas se sentissem à vontade, para minha felicidade! Talvez assim até conseguisse fazer o que prometera ao meu pai…

Rita agradeceu.

Todas rimos e aquilo pareceu-me o início de uma grande amizade…

Estávamos as três a conversar quando ouvimos alguém bater à porta. A mesma mulher que me tinha dado a minha folha entrou para nos dar algumas informações. Ela explicou-nos que era uma das professoras do colégio e que seria ela a ‘’vigiar‘’ o nosso sector no qual estavam incluídos o nosso quarto e mais o quarto do lado, que me pareceu pertencer a rapazes. Chamava-se Martinna, como estava na folha, e era a nossa professora de Educação Física. Explicou-nos que, às 10horas tínhamos de ir até à sala de convívio para conhecermos o diretor, os professores da turma e os restantes alunos, deu-nos algumas informações sobre uniformes e antes de sair ainda perguntou se eramos só nós no dormitório, ao que respondemos que ‘’Por enquanto somos, ainda não chegou mais ninguém!’’ Depois saiu pensativa.

- Ok, eles parecem deixar-nos bem à vontade para um colégio interno... - observou Valentina.

- Eh, estamos no início, acho que é normal... - respondi eu deixando-me cair sobre a cama.

- Os que vieram por vontade própria estão a adorar, esperemos que não se assustem quando, e se, isto se mostrar um inferno...

Valentina ficou a olhar para Rita séria, ''quem é que escolhe vir para um colégio interno de livre vontade?'' ela devia estar a pensar.

Eu!

Vão ser longos meses…

Saímos do dormitório, faltavam cerca de 10minutos para as 10h. Demoramos um pouco a encontrar a sala de convívio, fomos parar a salas, a casas de banho e até a arrecadações, só depois chegámos à sala de convívio que, nessa altura, já estava apinhada de gente…

- Isto vai ser um inferno! – Valentina olhava para aquilo e a sua cara transparecia pânico, o que fez com que eu e Rita ríssemos.

Procuramos um lugar longe da confusão onde pudéssemos ver bem. Por sorte havia um canto vazio onde havia cadeira e até se via relativamente bem, foi onde ficamos.

Explicaram-nos como tudo funcionava: como estavam organizadas as turmas, como funcionavam as aulas, como eram os fins-de-semana, a situação dos uniformes entre muitas outras coisas…

Mais alunos acabaram por se juntar, e a uma certa altura, atingia já o canto onde estavamos.

A partir de uma certa altura deixei de prestar atenção ao que diziam, já tava farta daquilo e ainda agora tinha começado…

- Raios, isto parece uma prisão! – murmurei de maneira a não ser ouvida, mas alguém me respondeu.

- Acho que tenho de concordar contigo! Só falta que os nossos uniformes sejam laranja e que nos ponham a limpar as casas de banho e a fazer a comida!

Dear best friend...

Vou-vos falar de uma rapariga que conheci há 9 anos.

Não sei como, não me lembro, mas isso são detalhes...

Lembro-me de uma Mariana de óculos rosa, uma rapariga sossegada sentada numa mesa, ela sabia, tinha algumas dificuldades, mas ela sabia! Depois lembro-me de quando ela me deu um desenho no dia do meu aniversário sem saber que era o meu aniversário!

De pormenores, lembro-me de poucos, alguns episódios pouco explícitos... Os anos foram passando e nós fomos crescendo.

Durante as aulas estávamos sempre juntas, tínhamos o nosso grupo, nas férias as novas tecnologias premiriam-nos estar em contacto (não no primeiro ciclo, sabíamos lá nós o que era internet no 3º ano!) fomos conversado, partilhando os nossos gostos e a amizade foi crescendo!

De repente estávamos já a falar sobre as nossas paixões e a revelar os nossos segredos mais íntimos. De repente eu ganhara um diário humano, um ombro para chorar, uma pessoa com quem rir e com quem eu podia usar o meu humor perverso sem que ela pensasse que eu precisava de ir para uma psiquiatria (ela sabe que eu preciso, mas já não liga muito a isso!)

Sobre ela eu posso dizer muitas coisas: é super inteligente e tem uma paciência de santa! Ela não tem só um sexto sentido, ela tem um sétimo, um oitavo, um nono e começo a achar que tem também um décimo!

Ela está sempre certa, SEMPRE! É uma pessoa forte, está na minha lista de inspirações (lembram-se, aquela que fiz há umas semanas atrás), diz ter pouca sorte, mas apesar disso ela continua a sorrir! Tem os seus objetivos e não desiste deles, não sei onde ela vai tanta vontade de estudar ou, pelo menos, paciência para tal...

Acredita pouco nela mesma... Acredita, porque tu podes!

 

Adora ler, adora novos desafios, adora ajudar as pessoas e é gosta de fazer amigos, mas há alturas em que a timidez atacar e ela parece uma Jéssica! É super organizada, algo que admiro e invejo!

Ela é o tipo de pessoa que te dá um sermão quando o mereces, mas também te puxa para cima quando estás no fundo do poço, tem as palavras certas para o momento certo!

Adora Ferreros Rocher e chocolate Milka e se não comer a sua dose diária de chocolate, não ha livros ou testes ou relatórios que a parem, ela fica IMPOSSÍVEL!

You can count on her like you can count on you! ALWAYS!

Estamos em áreas diferentes e temos planos muito diferentes para os próximos anos, mas com certeza ela não se verá livre de mim tão facilmente! Quando, no futuro, estiver num outro país e te ligar a meio da madrugada, por favor, não me deixes pendurada, porque és o meu diário humano e eu preciso de te contar que acabei de comer uma celebridade ou que o meu futuro namorado me pediu em casamento!

A friend is like a star that twinkles and glows


Or maybe like the ocean that gently flows


A friend is like gold that you should treasure


And take care of forever and ever

by Ashley Campbell

 

Dear Mi,

        I'm whit you 'till the end of the line!

Sorrir é o melhor remédio!

tumblr_lp82pgld1u1qj79u9.jpg

 

 

Grandes quantidades de sorrisos podem tornar-nos mais saudáveis, ajudam a reduzir a produção de hormonas que causam o stress, como o cortisol, a adrenalina e a dopamina e aumentam o nível de hormonas que melhoram o humor, como a endorfina, e ainda, a reduzir a pressão arterial.

Por mais difícil que seja a vida, não permitas que o destino te dê a volta, mostra-lhe como se faz...SORRI! 

 

 

Que o dia mundial do sorriso passe a ser todos os dias...

 

©Mi

Pág. 1/11