Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vamos atirar uma bomba ao destino

Não somos de nos contentar com o que o destino reserva para nós. Sonhamos alto e frequentemente caminhamos fora da estrada.

Dia Internacional da Rapariga

Hoje, 10 de Outubro, celebra-se o Dia Internacional da Rapariga. Celebra-se desde 2012, e tem como objetivo chamar a atenção relativamente às necessidades e aos desafios que as raparigas enfrentam, ao mesmo tempo que promove o ''empowerment'' das raparigas e o respeito pelos seus direitos humanos.

 

#FREEDOMFORGIRLS porque todos temos DIREITOS

Infelizmente, em pleno século XXI, raparigas e rapazes ainda não são adquiriram um estatuto similar, e estas disparidades aumentam conforme o nível de subdesenvolvimento dos países (não somos surpreendidos pelas notícias de crianças que casam com homens com o dobro ou triplo da sua idade). 

Raparigas adolescentes têm o direito a ter uma vida segura, educada e saudável, não apenas durantes este período de formação, mas também à medida que amadurecem e se tornam mulheres. Se efetivamente apoiadas durante o período da adolescência, raparigas têm o potêncial de mudar o mundo - tanto como as ''empowered'' raparigas de hoje como as trabalhadoras, mães, empresárias, mentoras, lideres domésticas e líderes políticas.

ONU

Neste dia, dedicado às meninas, vamos pensar nos milhões de raparigas por todo o mundo que não têm direito à educação; que, com 14 anos, já estão divorciadas; que não chegam a nascer, porque são raparigas; que são abusadas diáriamente; que não conhecem a liberdade.

O que é que #FREEDOMFORGIRLS significa para vocês?

 

Misogyny Speech

O discurso anti-misógino que Julia Gillard deu a 8 de outubro de 2012 tornou-se um fenómeno global que captou a atenção do mundo, que vervilhou de raiva.

Julia Gillard foi a primeira mulher a ser eleita Primeira Ministra na Austrália e durante a sua carreira foi implacavelmente intimidada por políticos sexistas que consideravam que, sendo ela mulher, era incapaz de liderar.

Até que, um dia, Julia Gillard explodiu. 

O resultado foi o ''Misogyny Speech'', um discurso de quinze minutos considerado um dos pontos mais altos da história da política australiana onde Gillard se recusa a ouvir um ''sermão'' do líder da oposição, Tony Abbott, ele próprio um sexista e misógino, relativamente a esse tema.

O dicurso completo podem le-lo aqui, em inglês. Deixo-vos os primeiros três minutos, traduzido (dei o meu melhor! xd).

Muito obrigada porta-voz/vice-presidente(?) e eu oponho-me a proposta do líder da oposição. E ao fazê-lo eu digo ao líder da oposição que eu não vou ser repreendida sobre sexismo e misóginia por este homem. Nem hoje, nem nunca.

O líder da oposição diz que as pessoas que têm opiniões sexistas e que são misóginas não são apropriadas para altos cargos(?). Bem, eu espero que o líder da oposição tenha uma folha de papel e esteja a escrever a sua carta de demissão. Porque se ele quiser saber com o que é que a misoginia se parece na Austrália moderna, ele não precisa de um requerimento na Câmara dos Deputados, ele precisa de um espelho. É disso que ele precisa.

Vamos ver o duplo ponto de vista repulsivo que o líder da oposição, o duplo ponto de vista quando toca a misoginia e sexismo. Não é suposto levarmos a sério o facto do líder da oposição que disse, isto quando ele era ministro no último governo - não quando era estudante, não quando estava no secundário - quando era ministro ao serviço do último governo.

Ele disse, e passo a citar, numa discussão sobre as mulheres terem uma representação deficitária em instituições de poder na Austrália, o entrevistador era um homem chamado Stavros. O líder da oposição disse ''Se for verdade, Stavros, que os homens têm no geral mais poder que as mulheres, isso é uma coisa má?''

A discussão continua, e outra pessoa diz ''Eu quero que a minha filha tenha tantas oportunidades como o meu filho.'' Ao que o líder da oposição responde ''Sim, concordo completamente, mas e se os homens são psicologicamente e temperamentalmente  mais adaptados para exercer autoridade ou para tomar o comando?''

Numa outra discussão sobre o papel das mulheres na sociedade moderna, e outra pessoa a participar na discussão diz ''Eu acho que é muito difícil negar que existe uma representação deficitária das mulheres,'' ao que o líder da oposição responde, ''Mas agora, existe a suposição que isso é uma coisa má.''

Este é o homem de quem é suposto nós levarmos sermão sobre sexismo. E claro que há mais. Fiquei pessoalmente muito ofendida quando o líder da oposição disse, e cito, ''Aborto é a saída fácil.'' Fiquei pessoalmente muito ofendida por esse comentário. Disse isso em Março de 2004, sugiro que dê uma vista de olhos.

Também fiquei bastante ofendida em nome das mulheres da Austrália quando, no curso da sua campanha dos preços do carbono(?), o líder da oposição disse ''O que as donas de casa da Austrália precisam de perceber enquanto passam a roupa...'' Obrigado por esse retrato do papel das mulheres na Austrália moderna.

...

 

Julia tornou-se um ícone na Austrália e no mundo devido a este discurso. Estudantes memorizaram-no e gritavam-no pelas ruas e Hillary Clinton fez questão de conhecer Julia Gillard.

Pessoalmente, considero icónico! 

Daily Reminder

Daily Reminder: 

Girls, AMEM-SE!

When I first learned that no one could ever love me more than me

a world of happiness previously unseen was discovered

because somewhere along the line of aging and scrutiny and time

I was taught to despise myself

but I made sure I kept myself beautiful so someone would love me someday

so I could belong to someone someday

because that's the most important thing a little girl could ever want, right?

I was thirteen the first time I was embarrassed about my body

of course it would not be the last

and I remember stuffing my bra in the morning

with tears stinging my eyes

hoping, praying to something that I could look beautiful enough today, braces and all, for the ruthless boys

who mercilessly told me I was worthless

because my boobs weren't big enough

and I would go home and put on a sweatshirt with my eyes closed,

deny myself the right to be shown myself,

because I didn't dare want to insinuate beauty

in regards to something so insulting as my body.

But I mean we all end up with our heads between our knees

because the only place we'll ever truly feel safe

is curled up inside skin we've been taught to hate

by a society that shuns our awful confidence and feeds us our own flaws

and sometimes when I need to meet the me that loves me, I can't find her,

a reminder that the mirror is meant to be a curse so I confine her in my mind

but when when he or she shouts let me out

we're allowed to listen.

But it's met by a chorus of conceited

egotistical

narcissist

but since when was self solicitude a sin?

since when was loving who we are made an offense by morons that don't matter

change this physicality and that one, don't you shatter the illusion you could ever

be anything beyond paper fine flesh and flashy teeth and fingernails

echoic accusations of not good enough, never good enough

have you ever felt so numb that it hurts

entertain me

whore

you can't surrender to them

you gotta remember you're the only thing you'll ever truly have

and no I don't mean your body because someday it'll go bad no matter what you do

I mean you

I mean the way your bright eyes go wild when you smile

and how your laughter's so melodic it's a song

I mean the way your creativity's a compass that leads you to what you love

and you don't need any miracle cream to keep your passions smooth, hair free

or diet pills to slim your kindness down

and when you start to drown in these these petty expectations

you better examine the miracle of your existence

because you're worth so much more than your waistline

you're worth the beautiful thoughts you think

and the daring dreams you dream, undone and drunk off alcohol of being

but sometimes we forget that

because we live in a word where the media pulls us from the womb

nurses us

and teaches us our first words

skinny pretty skinny pretty

girls soft quiet pretty

boys manly muscles pretty

but I don't care whether it's your gender, your looks, your weight, your skin, or where your love lies

none of that matters because standards don't define you

you don't live to meet credentials established by a madman

you're a goddamn treasure whether you wanna believe it or not

and maybe that's what everyone should start looking for.

~ Savannah Brown

 

 

credits

Obrigada Savannah, muito obrigada!  ''Sometimes we forget that''.... 

''Amor próprio não faz de nós egoístas, torna-nos indestrutíveis!''